This is a print version of story Férias em Espanha (4) by Mikass1968 from xHamster.com

Férias em Espanha (4)

O dia decorreu tranquilo e a dois. Praia de manhã e piscina durante a tarde. O João tinha ido a Madrid buscar o pai que vinha do Brasil passar uns dias com ele.
Novo dia com ambos deitados no areal a saborear aquele sol na pele, quando chega o João acompanhado de um homem de enorme estatura, com cerca de 60 anos, negro, cabeça totalmente rapada e um corpo deveras impressionante para a idade. Sentaram-se junto de nós. Era, claro, o Luiz, pai do João. Tinha vindo à Europa em negócios e resolveu antecipar a viagem para se juntar ao filho. O Sr. Luíz falou-nos da sua vida, dos seus investimentos em gado bovino e estava em Espanha para estudar a possibilidade de aquisição de uma "finca" em para expansão do seu negócio. Homem simpático, simples e cativante com quem era fácil conversar.
Os dois dias seguintes foram bastante mais tranquilos e tirando os habituais "olá, tudo bem?" passaram-se a dois, nós e eles. No entanto o Sr. Luiz, pela sua compleição física era uma tentação enorme para a Patrícia e a falta do João também a deixava mais excitada.
Logo a Patrícia achou por bem tentar animar um pouco a situação e convidou-os para jantar. Esmerámos na confecção do jantar e principalmente na escolha dos vinhos. Terminado o repasto eu e o João necessitávamos de "un café solo" e saímos para o tomar enquanto o se despedia mas a Patrícia lá o convenceu a ficar e fazer-lhe companhia,
Quando regressámos, cerca de uma hora depois, o João deu um pulo a casa e entrei sozinho pela porta que dava para o pequeno jardim, evitando fazer barulho. A sala estava vazia mas os gemidos da Patrícia, vindos do quarto eram perfeitamente audíveis. Aproximei-me da porta e como esta estava apenas semi-aberta fiquei a observar. Ela estava de 4 na beira da cama e o Sr. Luiz em pé, por trás a estocar a minha mulher. Fiquei a observar e claro que me ia tocando sem me aperceber da chegada do João que se juntou a mim.
"és mesmo uma vadia" dizia-lhe o Sr. Luiz. Eu e o João baixámos os calções e começamos a bater uma punheta enquanto observava-mos a cena. "Agora quero o teu cuzinho." "Oh, sim, sim" Senti o pau do João encostado a mim. Estremeci mas... não disse nada. Senti a mão dele no meu rabo e quando ele me disse "vem." acompanhei-o sem dizer nada.
Ele sentou-se no sofá e fez-me sinal para o seu pau. Ajoelhei-me à frente dele e segurei-o. Sei que não era a primeira vez que lhe tocava ou o metia na boca mas ia ser a primeira daquela forma, os dois sozinhos, mas a verdade é que me apetecia voltar a provar aquele caralho.
Fechei os olhos e coloquei a língua de fora, passando a sua cabeça por ela. Lambi-lhe a cabeça, passei a língua por todo ele até às bolas enfiando uma de cada vez na boca enquanto o segurava. As mãos dele pousaram na minha cabeça. Lambi-as e regressei ao topo engolindo um pouco mais que a cabeça. Há algum tempo que tinha vontade de o fazer, que pensava no assunto e aquela oportunidade era quase irresistível. Decidi não me preocupar com o que os outros vão pensar mas em aproveitar o melhor possível aquele momento que até poderia vir a ser único.
Nitidamente o João estava a gostar do meu trabalho no pau dele. Continuei a tentar fazer o melhor que podia para lhe dar prazer, imaginando o que gostaria que me fizessem.
Segurei-lhe nas bolas, o que de imediato lhe empinou o mastro e tentei engolir o máximo que consegui. Retirei um pouco e passei com a língua, sem o retirar da minha boca. Olhei para ele e estava com a cabeça para trás. Era bom sinal. Alguma coisa devia de estar a fazer bem. Bati-lhe uma punheta, passando a língua de vez em quando mas sem o chupar. Ele mesmo segurou no pau e começou a bater-me com ele na face enquanto me chamava de viadinho. Não gostei! mas não ia desistir agora.
Não sei quanto tempo tinha passado mas quando olhei estavam a Patrícia eo Sr. Luiz a olhar para nós. Levantei-me saltando mas a minha mulher aproximou-se de mim beijando-me com ternura e fazendo-me baixar em conjunto com ela segurando ela no mastro do João e colocando-o no meio das nossas bocas. Chupá-mos ora um ora outro com uns beijos pelo meio. O Luiz (já é tempo de abandonar o Senhor), baixando-se quase de cócoras, enfiou-se nela empurrando-a para a frente ao mesmo tempo que me apalpava o rabo e me dava umas palmadas. A noite estava a tomar um rumo completamente impensável de inicio mas nada que não nos estivesse a agradar a todos.
Como era possível que aquele homem aguentasse tanta foda, sempre com o mastro duro. Quando ele me disse "vem cá" abandonei o João deixando-o aos cuidados da Patrícia e comecei a chupar o Luiz que entretanto tinha saído da minha mulher. Ela aproveitou e levantou-se sentando-se no João e cavalgando-o ao mesmo tempo que eu chupava o Luíz, de joelhos à frente deles. Quando ela decidiu enfiar o João no rabo e este a puxou para ele obrigando-a a "deitar-se" ao longo do seu corpo, o Luiz retirou-me o pau da boca e enfiou na cona da Patrícia que agora estava no meio daqueles dois homens negros. Cada um enfiado no seu buraco. O João, em baixo, pouco se mexia sendo o Luiz que a estocava e obrigava com o seu movimento a que a Patrícia se mexesse em cima do João. Ela gemia como nunca a tinha ouvido gemer e os seus orgasmos iam acontecendo a uma cadência regular. O João por detrás dela apertava-lhe as tetas, apertando os bicos, algo que lhe dá imensa tesão. Nenhum dos dois se veio e ao fim de uns minutos saíram de dentro dela parando um pouco para descansar. Aproximei-me dela e apesar não ser o que lhe apetecia lá me meteu na boca e chupou durante pouquíssimo tempo. Ainda assim, foi agradável.
A noite não tinha acabado e quando o Luiz se levantou e encaminhou para a cama levou a Patrícia com ele. Nós seguimos atrás. Deitou-se na cama e ela de imediato se colocou de joelhos a mamar-lhe o pau de chocolate. Pouco tempo durou o broxe pois ela estava com vontade de o meter novamente na vagina e assim o fez. O João aproximou-se da boca dela e ela não se fez rogada aproveitando para o enfiar na boca enquanto eu ficava a ver. Aproveitei que o seu rabo estava disponível e nem perguntei nada enfiando-lhe de uma vez. Novamente ela estava em êxtase, completamente preenchida.
Não aguentei muito tempo vim-me no rabo da minha mulher. O João tomou o meu lugar naquele orifício enquanto me retirei para beber agua. Quando os gemidos aumentaram de volume regressei ao quarto e para meu espanto estavam os dois enfiados na sua cona. Qual buracha oreo, o contraste de cor era o suficiente para me deixar quase ao ponto de me vir. Desta vez, não demoraram muito a enchê-la de esperma (não corremos o risco de ela engravidar pois tinha feito laqueação). Quando saíram de dentro dela, toda ela escorria e aquela coninha que eu conhecia tão bem estava muito dilatada. Deitei-me ao fundo da cama a observar quer os dois paus quer a minha querida esposa. Que foda! Acho que a partir desta noite tudo seria possível de acontecer.
Story URL: https://nl.xhamster.com/stories/f-rias-em-espanha-4-919859
Gelieve of om opmerkingen te plaatsen
Als spammers op je content reageren, ben jij de enige die zulke reacties kan zien en beheren Alle verwijderen
Este gostei ainda mais, sobretudo pela acção de pai e filho, os dois dentro dela, que maravilha!! Ajudava-te a limpar a cona dela cheia de leite!
4 maanden geleden
Antwoorden
mais um excelente relato. Continua!
5 maanden geleden
Antwoorden