This is a print version of story No banheiro do restaurante by pitukamanna from xHamster.com

No banheiro do restaurante

Minha ex-namorada era muito intensa e muito gostosa, tinha muito tesão e se ligava demais numa safadeza, começamos nossa relação quando eramos ainda muito jovens e por isso descobrimos os prazeres do sexo juntos.
Um dia, quando tínhamos mais ou menos 1 ano de relacionamento, numa conversa mais quente que estávamos tendo ela me confessou que tinha a fantasia de transar com mais de um homem ao mesmo tempo, fiquei confuso com um sentimento entre a raiva e o tesão de pensar em algo como aquilo, resolvemos na época manter a coisa na fantasia porque sabíamos que algo como aquilo poderia estragar nosso amor de maneira irreversível...
Fiquei com aquilo em algum lugar obscuro da minha mente me perturbando mas resolvi não tocar mais no assunto.
Um dia resolvi fazer uma surpresa pra ela e comprei um vibrador, nada demais, bem básico, ela adorou mas só usou no clítoris enquanto transávamos e gozou bem gostoso.
Algumas semanas depois voltei do trabalho um pouco mais cedo e ao entrar em casa ouvi uns gemidos e um som de vibração do quarto, fui sem fazer ruido para ver o que ela estava aprontando e foi ai que eu vi, ela de quatro enfiando devagar o vibrador no cuzinho e masturbando a xota bem molhada, fiquei com o pau bem duro e resolvi assistir escondido, ela foi aumentando o ritmo das estocadas no anus e junto a siririca rebolando a bunda com o quadril bem projetado pra trás, nessa altura meu pau estava duríssimo e eu comecei a me masturbar vendo a cena, ela gozou gemendo abafado no travesseiro e eu gozei segundos depois vendo o vibrador sair do cu dela devagar enquanto ela relaxava o corpo suado. Entrei no quarto e a beijei, essa noite transamos muito gostoso ainda algumas vezes.
Ela adorava fazer sexo anal, tinha me dito que tinha feito umas 2 vezes antes de me conhecer mas acho que era mentira porque ela realmente gostava muito e gozava loucamente com meu pau dentro da bunda.
Quando completamos 3 anos de namoro decidimos comemorar e fomos a um restaurante chique de são paulo par tomar um vinho. Ela com seus 1,62m, cabelos e olhos castanho claro peitos pequeninos com mamilos lindos, bem magra e uma bunda bem redonda e avantajada muito deliciosa, pôs um vestido preto um pouco curto demais que realçava suas formas mais do que eu gostaria, sempre ficava com ciume quando ela colocava aquele vestido, mas decidi não dizer nada porque sentia ela bem receptiva e não queria cortar nosso barato.
Chegando no restaurante comemos uma comida cara e pequena e tomamos bastante vinho, estávamos muito felizes conversando animados sobre bobagens já na terceira garrafa de vinho, foi então que começou um show de musica ao vivo com um trio de jazz, percebi que ela ficava muito animada no fim de cada musica e aplaudia com muita veemência, percebi que ela estava alcoolizada e eu também.
Foi então que ela levantou para ir ao banheiro esbarrando um pouco nas outras mesa um pouco tropega, fiquei olhando ela entrar no banheiro que era no fundo do restaurante, alguns minutos depois ela volta com um olhar intenso pra mim e se sentou devagar na cadeira, fiquei sem entender direito o que estava acontecendo e ela indicou com o olhar para baixo, olhei debaixo da mesa e reparei que ela estava sem calcinha, fiquei muito surpreso e excitado ao ver ela daquela maneira mas ela fechou rapidamente as pernas e me olhou com uma cara muito safada, nos beijamos, ela visivelmente alterada pelo álcool me beijava com sofreguidão...
Conversamos mais um pouquinho e eu notando uma especie de comichão que se apoderava do corpo dela, uma inquietude,
Alguns minutos depois ela disse que precisava ir ao banheiro outra vez e me olhou com muita intensidade, entendi o recado e disse que também precisava, a banda estava tocando e o pessoal conversando, ninguém notou quando entramos no banheiro masculino juntos.
O banheiro era desses que só tem uma privada e um lavabo, trancamos a porta e nos beijamos com muita vontade, ela se esfregava em meu corpo com vontade e eu apalpava seu corpo por cima do vestido...
- Preciso mijar amor, to muito apertada - disse ela levantando o vestido e empinando a bunda em cima da privada, como a maioria das mulheres fazem em banheiros públicos.
Eu já com muito tesão e com o pau duro feito pedra na calça fui atras dela e pue ver aquele cuzinho piscando de leve enquanto ela urinava com as mãos no joelho, abri aquela bunda fornida pra ver melhor aquele cuzinho rosado e ela disse de leve "num pode oo" podia sentir o cheiro delicioso daquela bunda dai descontrolado pelo tesão lambi aquele anus delicioso e piscante enquanto ela terminava de mijar.
Ficamos nessa posição um pouquinho, ela rebolando de leve na minha cara e alisando meu pau por cima da calca, e eu enterrando a língua dentro de seu cuzinho quente que piscava ritmadamente enquanto ela gemia baixinho empinando cada vez mais a bunda.
- Num pode ooo, e se alguém pega a gente - disse ela levantando derrepente me deixando no ar, ela limpou rapidamente a buceta enquanto eu a olhava temporariamente sem ação com o coração a mil...
Ela foi lavar as mãos e eu me ajoelhei rapidamente atras dela levantando o vestido e abrindo aquela bunda maravilhosa, voltei a lamber seu cu e ela me disse que era perigoso mas desencaixou o quadril de modo que sua bunda me impedia de respirar.
Ainda ajoelhado, virei ela de frente e chupei bem gostoso sua bucetinha, ela já entregue ao tesão gemia apoiada na pia projetando a pélvis na minha cara fazendo movimentos de vem e vai com o quadril, senti que ela estava quase gozando e virei ela novamente de costas pra mim, me levantei e tirei meu pau pra fora, ela a essa altura abria a bunda com as duas mãos, esfreguei meu pau em sua xoxota e comecei a enfiar mas ela disse que não podia porque estava fértil e poderia engravidar, se virou e me beijou com muito amor punhetando meu pau e me disse que terminaríamos em casa...
Eu a virei outra vez de costas empurrando sua lombar pra que ela empinasse a bunda, e comecei lentamente a enfiar meu pau naquele cuzinho guloso, ela diferente de todas as vezes em que tínhamos que ir devagarzinho empurrou a bunda pra trás para engolir subitamente meu pau com sua bunda.
Ela gemia já um pouco mais alto agora, o som era abafado pelo som da banda la fora, eu metia bem fundo e devagar vendo a expressão de descontrole dela no espelho, os olhos fechados a boca aberta, a testa franzida numa nítida expressão de dor e prazer, ela abriu as nádegas e empurrou firme a bunda contra meu caralho que entrou fundo dentro daquele cuzinho, via seu rosto vermelho e sua pele arrepiada de tanto prazer, ela começou a masturbar a buceta enquanto eu metia cada vez mais forte apertando os seios dela por cima do vestido.
- Mete!!! Meteeee que eu vou gozar com seu pau no meu cu!! - disse ela entre arquejos num sussurro descontrolado.
Sua buceta escorria mel pela perna, quando eu vi isso não aguentei e gozei bem forte dentro do cu dela, meu pau pulsando dentro daquela bunda cheirosa e quente...
Ela mordeu forte o meu pau com o cu, tao forte que o expulsou dali, se via que ela ainda não tinha gozado mas ouvimos um som de batidas fortes na porta.
Ela abaixou o vestido rápido e eu coloquei o pau de volta na calca e fechei o zipper, nos olhamos com olhos arregalados por um tempo sem saber o que fazer e ouvimos de novo o som com uma fala autoritária masculina indistinta do outro lado da porta.
Não tinha como ela se esconder, o banheiro era um cubículo, não vi outra alternativa a não ser abrir a porta, o som da banda entrou junto com o segurança do restaurante que estava com uma cara confusa e um meio sorriso nos lábios...
- Acho que vamos ter que ir pra delegacia né? - disse ele meio rindo olhando nossas caras surpresas.
Minha mulher pra minha surpresa respondeu
- Deve ter outra forma de lidar com isso não e?
O Segurança a olhou bem, notei que ele olhou ela pelo espelho pra conferir sua bunda, eu horrorizado notei que seu mel ainda escorria pela perna e que o vestido não cobria isso.
- Pode ser... depende do que estamos falando...
Minha namorada me olhou com uma cara muito safada e repentinamente senti que a situação estava sob o controle dela, ela chegou perto do segurança que estava de terno preto, era um moreno meio gordo que já esboçava um sorriso de canto de boca, e alisou o pau dele por cima da calca, ele soltou um suspiro e projetou a pélvis pra frente, eu tinha dificuldade ate de respirar de ver aquela cena, meu coração martelava no peito e eu lutava com a vontade de sair dali e nunca mais vela e de tirar o pau pra fora e me masturbar.
Suava frio vendo ela se ajoelhar com uma expressão ébria no rosto abrindo devagar o botão e o zipper da calca do cara, sua cueca revelava um volume que me faria certamente passar vergonha, ela me olhou tremendo de excitação, eu tenso ate os cabelos
-Tudo bem amor? eu posso? - disse ela com a voz falhando tremula, se via que ela estava bem bebada e bem excitada.
Fiz que sim com a cabeça e ela tirou o pau dele pra fora, era bem mais grosso que o meu, mas não muito mais comprido, ela punhetou ele um pouco e chupou aquele pau
O segurança nitidamente apressado e consciente do perigo que aquilo representava para seu trabalho pegou ela pelos cabelos e empurrou rápido o pau na boca dela num movimento de vaivém murmurando "tem que ser rapidinho carai!"
Vi que ela masturbava sua buceta que agora estava babando no chão do banheiro, meu pau estava duríssimo e eu super confuso e sem ação...
- Vai rápido que já vou gozar já - disse o segurança fazendo movimento de vai e vem com a pélvis.
Pra minha surpresa ela se levantou acariciando as bolas dele se pôs de costas pra ele apoiada na pia do banheiro e disse:
- Goza dentro do meu cu? - sua voz foi um suspiro tremulo descontrolado, senti que eu ia explodir de emoção, meu coração martelava no corpo todo, meu pau estava duríssimo e eu paralisado vendo a cena e alisando meu pau dentro da calça...
Ela levantou o vestido e abriu as nádegas e disse "vem logo" empinando a bunda, dava pra ver que o cuzinho dela estava bem abertinho e molhado o segurança sem pestanejar se encaixou atras dela e começou a forcar.
Do lugar de onde eu estava via a expressão dela no espelho, no momento era de dor e desconforto ela disse "pera" levou dois dedos na boca deixando bem cheios de saliva e levou ao cu pra tentar amenizar, voltou a abrir as nádegas e empinar a bunda e disse "vem!" fechando os olhos com a boca entre aberta.
Mudei de posição involuntariamente para ver a piroca entrando no cu dela, ela sofreu um pouquinho mas dessa vez entrou tudo, era grosso o pênis dele e ela gemia cada vez mais alto.
- Que mina gostosa você tem cara! - disse ele - Muito safada, ta adorando da bunda pra mim né?
-To sim!! Goza no meu rabo goza! Mete tudo dentro dele - disse ela começando uma siririca bem forte.
O cara começou a bombar forte visivelmente transtornado pelo tesão que sentia, o pau entrava e saia do cu dela cada vez mais rápido e forte.
- Eu vou gozar! - anunciou ela num suspiro.
Vi que ela parou de respirar por um momento, o corpo inteiro tenso, a boca aberta e os olhos bem fechados, ela gemeu forte dessa vez, e dava pra ver que piscava o cu no pau dele alucinadamente, começou a se contorcer empurrando a bunda contra o pau dele e gozou muito gostoso eu gozei com ela involuntariamente alisando o pau dentro da calca.
Nunca tinha visto ela daquele jeito, quando ela relaxou o cara ja tinha gozado dentro dela, tirou o pau todo melado de porra e um pouco sujo e abrindo ela me mostrou a bunda dela arrombada com a porra escorrendo saindo.
-Que tesão sua mulher cara! Bora agora! Ja tamo tempo demais aqui dentro.
Saímos um por um por indicação do segurança, pagamos a conta e pedimos um táxi
No táxi ela me disse que tava toda ardida mas feliz porque tinha sido muito gostoso e que amava muito e não queria que a gente terminasse por isso.
Foi muito complicado na verdade, quase terminamos pelas implicações psicológicas do ato, eu não sabia direito lidar com isso nem ela tampouco, sofremos por um tempo ate entendermos que isso era normal e que podíamos ser assim.
Algum tempo depois nos começamos um relacionamento aberto, só tínhamos duas regras, a buceta dela era só minha, pra outros caras ela só podia dar o cu, e que eu sempre participasse de alguma forma.
Essa e uma historia real, uma entre muitas que valem a pena de ser contadas do relacionamento que tive. Mais virão com certeza!
Gepubliceerd door pitukamanna
5 maanden geleden
2.494
Story URL: https://nl.xhamster.com/stories/no-banheiro-do-restaurante-875572
Gelieve of om opmerkingen te plaatsen
Als spammers op je content reageren, ben jij de enige die zulke reacties kan zien en beheren Alle verwijderen
sortudo, bela mulher
5 maanden geleden
Antwoorden
Comentem ai que eu conto mais! tivemos mais algumas experiencias como essa que valem a pena serem contadas! ;-) Mulheres que possuam essa fantasia ou casais eh soh chamar inbox! ;-)
5 maanden geleden
Antwoorden